Rádio Geração Z – Colégio Herbert de Souza

No ano de 2012 a professora Paula Alexandra Reis Bueno entrou em contato com a equipe do NCEP para estabelecer uma parceria em um projeto de rádio escola que estava se iniciando na Escola Estadual Herbert de Souza, localizada no município de São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. No mês de abril do mesmo ano, teve início o trabalho na Escola.

Ao longo do projeto, houve a presença do professor Lizandro Gorski, responsável por acompanhar as oficinas e assumir o projeto no momento de saída do núcleo. A proposta era capacitar alunos e professores com oficinas sobre comunicação, produção em rádio e fornecer auxílio na execução e implantação da rádio.

A rádio foi chamada de “Geração Z”, uma referência encontrada pelos estudantes para denominar a geração que usa a tecnologia como ferramenta para domínio da linguagem e, além disso, a discute de maneira crítica. Ao fim de 2012, a rádio já possuía frequência de produção e os alunos já tinham conhecimento e domínio do processo.

Em 2013 o projeto continuou a comparecer no local para capacitar os novos alunos, em um trabalho de 10 encontros que foi proposto para durar três meses. Foram feitas uma série de oficinas, que incluíam os principais temas relacionados à comunicação através do rádio, como gêneros e formatos radiofônicos, história do rádio, texto e voz em rádio, produções de pauta e reportagem. Os alunos foram convidados para fazer uma visita nos estúdios de áudio do campus de Comunicação da UFPR, onde tiveram a oportunidade de gravar vinhetas e entrar em contato com a produção dos programas.

Ao final do processo de implantação do projeto, em 2013, os alunos produziam três programas semanais de 15 minutos cada, com material produzido pelos próprios estudantes, sem ser necessária a intervenção da equipe do NCEP. Os alunos já possuíam autonomia para produzir o programa sem a necessidade de acompanhamento.

Em 2014, o professor Lizandro Gorski, contatou novamente a equipe do NCEP. De acordo com Gorski, o projeto contava com 15 alunos interessados em levar adiante a iniciativa e que, para isso, achava necessária a ajuda do Núcleo em questões mais técnicas como produção de pauta e reportagem e preparação para entrevistas e enquetes no rádio. Neste contexto, os participantes do NCEP voltaram a levar oficinas para o colégio em abril de 2014.

Nos primeiros três encontros foram analisadas debilidades no processo de produção dos programas, uma vez que os alunos já não possuíam a mesma constância na produção de pautas e apenas transmitiam músicas durante o intervalo de aulas. Viu-se necessário um acompanhamento para que fosse possível trazer de volta a periodicidade na produção de pautas, além de um melhor embasamento aos novos alunos que entraram no projeto durante o período em que o NCEP deixou de acompanhá-lo.

A equipe promoveu uma oficina sobre pautas, explicando o que são e para quê servem. Foram escolhidos dois temas que poderiam agradar aos adolescentes e os 10 alunos do projeto foram divididos em dois grupos para produzirem as pautas, junto com o Núcleo. Posteriormente, os grupos trocaram as pautas e ficaram responsáveis por produzi-las durante as férias de junho, entretanto, no retorno às aulas, a equipe notou que nenhuma equipe havia produzido.

Infelizmente, ainda não é possível para o Núcleo se desligar do projeto, visto que os alunos, por enquanto, apenas tocam músicas no intervalo das aulas, não possuem conhecimento relacionado à pauta ou produções de notas e reportagens em rádio. Nos últimos encontros, a equipe tem tomado o cuidado em explicar a linguagem no rádio e comentar os diversos gêneros que podem ser veiculados e que a rádio da escola não precisava ser feita apenas de música. Os alunos passaram a se preocupar com questões noticiosas no rádio e produziram duas notas para serem passadas durante o programa, sem deixar de lado a música que exprime os gostos plurais da escola.

As produções têm melhorado gradativamente e a equipe do NCEP tem notado maior e melhor participação dos alunos. Os estudantes têm se mostrado mais dedicados em suas produções, buscando notas em sites de notícias e assuntos que são de interesse da comunidade escolar.

Para acompanhar as produções da Rádio Geração Z e do Colégio Herbert de Souza, clique aqui.

No ano de 2012 a professora Paula Alexandra Reis Bueno entrou em contato com a equipe do NCEP para estabelecer uma parceria em um projeto de rádio escola que estava se iniciando na Escola Estadual Herbert de Souza, localizada no município de São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. No mês de abril do mesmo ano, teve início o trabalho na Escola.

Ao longo do projeto, houve a presença do professor Lizandro Gorski, responsável por acompanhar as oficinas e assumir o projeto no momento de saída do núcleo. A proposta era capacitar alunos e professores com oficinas sobre comunicação, produção em rádio e fornecer auxílio na execução e implantação da rádio.

A rádio foi chamada de “Geração Z”, uma referência encontrada pelos estudantes para denominar a geração que usa a tecnologia como ferramenta para domínio da linguagem e, além disso, a discute de maneira crítica. Ao fim de 2012, a rádio já possuía frequência de produção e os alunos já tinham conhecimento e domínio do processo.

Em 2013 o projeto continuou a comparecer no local para capacitar os novos alunos, em um trabalho de 10 encontros que foi proposto para durar três meses. Foram feitas uma série de oficinas, que incluíam os principais temas relacionados à comunicação através do rádio, como gêneros e formatos radiofônicos, história do rádio, texto e voz em rádio, produções de pauta e reportagem. Os alunos foram convidados para fazer uma visita nos estúdios de áudio do campus de Comunicação da UFPR, onde tiveram a oportunidade de gravar vinhetas e entrar em contato com a produção dos programas.

Ao final do processo de implantação do projeto, em 2013, os alunos produziam três programas semanais de 15 minutos cada, com material produzido pelos próprios estudantes, sem ser necessária a intervenção da equipe do NCEP. Os alunos já possuíam autonomia para produzir o programa sem a necessidade de acompanhamento.

Em 2014, o professor Lizandro Gorski, contatou novamente a equipe do NCEP. De acordo com Gorski, o projeto contava com 15 alunos interessados em levar adiante a iniciativa e que, para isso, achava necessária a ajuda do Núcleo em questões mais técnicas como produção de pauta e reportagem e preparação para entrevistas e enquetes no rádio. Neste contexto, os participantes do NCEP voltaram a levar oficinas para o colégio em abril de 2014.

Nos primeiros três encontros foram analisadas debilidades no processo de produção dos programas, uma vez que os alunos já não possuíam a mesma constância na produção de pautas e apenas transmitiam músicas durante o intervalo de aulas. Viu-se necessário um acompanhamento para que fosse possível trazer de volta a periodicidade na produção de pautas, além de um melhor embasamento aos novos alunos que entraram no projeto durante o período em que o NCEP deixou de acompanhá-lo.

A equipe promoveu uma oficina sobre pautas, explicando o que são e para quê servem. Foram escolhidos dois temas que poderiam agradar aos adolescentes e os 10 alunos do projeto foram divididos em dois grupos para produzirem as pautas, junto com o Núcleo. Posteriormente, os grupos trocaram as pautas e ficaram responsáveis por produzi-las durante as férias de junho, entretanto, no retorno às aulas, a equipe notou que nenhuma equipe havia produzido.

Infelizmente, ainda não é possível para o Núcleo se desligar do projeto, visto que os alunos, por enquanto, apenas tocam músicas no intervalo das aulas, não possuem conhecimento relacionado à pauta ou produções de notas e reportagens em rádio. Nos últimos encontros, a equipe tem tomado o cuidado em explicar a linguagem no rádio e comentar os diversos gêneros que podem ser veiculados e que a rádio da escola não precisava ser feita apenas de música. Os alunos passaram a se preocupar com questões noticiosas no rádio e produziram duas notas para serem passadas durante o programa, sem deixar de lado a música que exprime os gostos plurais da escola.

As produções têm melhorado gradativamente e a equipe do NCEP tem notado maior e melhor participação dos alunos. Os estudantes têm se mostrado mais dedicados em suas produções, buscando notas em sites de notícias e assuntos que são de interesse da comunidade escolar.

  1. Nenhum comentário ainda

  1. Nenhum trackback ainda.